Especial: 11/09

Uma década se passou desde que as duas torres foram ao chão. É incrível que ninguém esquece  o que estava fazendo aquela manhã. Era uma terça ensolarada no dia 11/09. Eu só tinha 7 anos e estava cursando a primeira série.

Lembro que estava assistindo alguma coisa na tv, algum desenho, mas não consigo me lembrar qual, quando, de repente a programação foi interrompida com aquela MALDITA  música do plantão da Globo com a notícia de arrancar a sua alma: “Aconteceu uma tragédia. Uma tragédia da qual o mundo não vai se esquecer. Hoje, dia 11 de setembro de 2001, as torres gêmeas de Nova York não existem mais.”.  E as imagens começaram a surgir. Uma mais horrível e cruel que a outra.

Pessoas saltavam dos prédios para tentar salvar suas vidas, completamente em chamas. Essa deve ter sido a imagem mais impactante para mim naquela manhã. Depois de alguns anos descobri que havia acontecido uma coisa parecida em São Paulo. O edifício Joelma em chamas, causado por alguma explosão dentro prédio, com as imagens, novamente, de pessoas saltando do prédio se salvarem.

Outra coisa que me lembro bem era o som que invadia meus ouvidos, daquelas sirenes, das mulheres gritando, dos policiais xingando Deus e o mundo e o clássico “OH MY GOD!”, além dos inúmeros choros que ecoavam no caos.

E, por fim, depois de 120 minutos de horror, a Torre Norte encontra o solo acimentado de New York, levando consigo aquela fumaça para o chão. Lembro-me de uma imagem que mostrava pessoas correndo para longe dela e a fumaça vinha rapidamente levando vários jornais, escombros e o sangue impregnado daquele horror que o mundo testemunhou.

Os cidadãos andavam empoeirados, completamente perdidos no meio dos escombros.

Poucos minutos depois, a segunda torre cai trazendo a mesma fumaça com os mesmas características. Logo após vem outra notícia que outro avião atingiu o Pentágono e que mais um havia caído na Pensilvânia.

É importante lembrar também do sofrimento (que deve ter sido 10x pior) que vários civis palestinos testemunharam depois desse evento. E, claro, a guerra no Afeganistão.

Sem mais palavras, indico aos interessados alguns filmes/documentários que selecionei. Alguns retratam os eventos ocorridos, alguns retratam o drama das famílias e outros retratam a saúde, que ficou completamente devastada graças a inalação de gases tóxicos, dos heróis do 11/09 .

Farenheit 11/09: documentário dirigido pelo brilhante Michael Moore.

Sinopse: outro polêmico e premiado filme do diretor de “Tiros em Columbine”. O documentário analisa discursos do presidente dos Estados Unidos, e, em seguida, apresenta imagens que se contradizem com suas palavras. Revela as estreitas relações pessoais e financeiras entre as famílias de George Bush e a de Bin Laden. O filme lança, também, a polêmica de que membros da família Bin Laden puderam sair dos Estados Unidos sem serem interrogados pelo FBI.

–  Sicko – $.O.$. Saúde (Sicko): outro documentário dirigido pelo Michael Moore.

Sinopse: “Sicko – $O$ Saúde” é o novo documentário de Michael Moore (“Tiros em Columbine” e “Fahrenheit 11 de Setembro”). Inicialmente anunciado como um documentário sobre a indústria farmacêutica, várias empresas desta área prontamente tomaram medidas para evitar o acesso de Michael Moore a quaisquer informações comprometedoras e aconselharam os seus funcionários a não dialogar com o cineasta. Irreverente e incisivo como habitualmente, Moore surpreendeu de novo, produzindo um documentário sobre o lucrativo sistema de saúde norte-americano. Mostrando sem qualquer censura as conseqüências da inexistência de cuidados de saúde gratuitos nos E.U.A. o documentário é uma crítica afiada aos interesses corporativos e estatais camuflados sob este problema.

As Torres Gêmeas(World Trade Center): com Nicolas Cage, Michael Pena e Maggie Gyllenhaal. Dirigido por Oliver Stone.

Sinopse: “As Torres Gêmeas” é o novo filme do diretor Oliver Stone (“Alexandre e “Nascido em 4 de Julho”). Estava um dia extraordinariamente quente em Nova York em onze de setembro de 2001. Will Jimeno, policial do Departamento da Polícia Portuária (PAPD) pensou em tirar folga para praticar seu hobby, arco e flecha, mas decidiu ir trabalhar. O sargento John McLoughlin, veterano respeitado do PAPD, já estava acordado há muitas horas, exigência de sua ronda diária de uma hora e meia até a cidade. Eles e seus colegas seguiram para o centro de Manhattan — como faziam em qualquer outro dia. Só que esse não era um dia qualquer. Após os ataques ao World Trade Center, toda a equipe do PAPD foi convocada para comparecer ao local e a primeira equipe que saiu do centro para as Torres Gêmeas contava com cinco homens, entre eles McLoughlin e Jimeno. Os dois entraram no prédio não atingido e quando estavam se preparando para ajudar os feridos da primeira torre, foram surpreendidos pelo segundo ataque. Os dois policiais ficaram soterrados sob blocos de concreto e metais retorcidos, seis metros abaixo da área de destroços, mas, milagrosamente, sobreviveram. Apesar de não poderem ver um ao outro, puderam se ouvir e, durante 12 horas, McLoughlin e Jimeno conseguiram se manter vivos falando de suas famílias, de suas vidas no departamento, de suas expectativas e frustrações. O filme também acompanha suas mulheres, filhos e pais, que sofreram com a falta de informações sobre eles. E mostra a busca de um contador e ex-fuzileiro determinado de Connecticut, Dave Karnes, que achou os dois policiais naquela noite. Também é retratado o esforço de dezenas de bombeiros, policiais e paramédicos, que os resgataram após exaustivas 12 horas.

Voo United 93 (United 93): com Richard Bekins e Starla Benford. Dirigido por Paul Grenngrass.

Sinopse: “Vôo United 93” é um drama contagiante e provocante que conta a história dos passageiros, da tripulação e dos controladores de vôo que observaram, num terror crescente, o Vôo 93 da United Airlines se tornar o quarto avião seqüestrado no dia do pior ataque terrorista em solo norte-americano: 11 de setembro de 2001. Os eventos desse dia são explorados no episódio de um único vôo a partir de depoimentos de profissionais, executivos, esposas, avós, alunos e várias outras pessoas ligadas àqueles que estavam a bordo do Boeing 757.

– Reine Sobre Mim (Reign Over Me): com Adam Sandler, Michael Cheadle e Liv Tyler. Dirigido por Mike Binder.

Sinopse: o drama “Reine Sobre Mim” traz Adam Sandler como Charlie Fineman, homem que perdeu a família no atentado às Torres Gêmeas em 11 de Setembro de 2001 e busca, sem sucesso, se recuperar do baque. Ele encontra em Alan Johnson (Don Cheadle), ex-companheiro de quarto nos tempos de faculdade, uma válvula de escape para sua solidão.

Todos esses filmes devem ser assistidos e “reassistidos”. Eles são ótimos e emocionam de um jeito ou de outro. Em “Reine Sobre Mim” Adam Sandler mostra que é capaz de fazer muito mais além de comédinhas, ele está absolutamente incrível neste filme.

Sei que não é o bastante, mas dedico esse post aos heróis e as vítimas do atentado de 11 de Setembro de 2001. Que descansem em paz.

Anúncios
Publicado em Especiais por Matheus Fragata. Marque Link Permanente.

Sobre Matheus Fragata

Formado em cinema pela UFSCar seguindo o sonho de me tornar Diretor de Fotografia. Sou apaixonado por filmes desde que nasci, além de ser fã inveterado do cinema silencioso e do grande mestre Hitchcock. Acredito no cinema contemporâneo, tenho fé em remakes e reboots, aposto em David Fincher e me divirto com as bobagens hollywoodianas. Tenho sonhos em 4K, coloridos e em preto e branco. Sempre me emociono com as histórias contadas por esta arte. Agora busco a oportunidade de emocionar alguém com as que tenho para contar

Uma resposta em “Especial: 11/09

  1. Realmente, um dia tristíssimo à humanidade. Assim como você, eu também estava na primeira série, mas mal vi o que tinha acontecido nos Estados Unidos. Pra falar a verdade, o que me marcou no 11/09/2001 foi o nascimento da minha irmã, na hora exata do atentado.
    Ótimos filmes que você indicou, conhecia só Reine Sobre Mim e Fahrenheit 11/09. Aproveitando, ainda indico outro que é 11 de Setembro. São vários curtas, cada um com 11 minutos, 9 segundos e 1 frame de duração, cada um de um diretor diferente mostrando a visão de cada país sobre o atentado às Torres Gêmeas. Obviamente nem tudo lá é linear e alguns curtas se sobressaem aos outros pelas técnicas e pelos diretores. Mas o resultado em si é bastante agradável.
    Abraços!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s