For the Holiday

Peço desculpas pela demora por outro For the Weekend. Aconteceu que o mês que passou foi muito agitado para mim, contando com diversas provas.

Bom, agora que tudo está mais calmo, eu escrevo outro post para vocês dando algumas dicas de várias animações para seus filhos, sobrinhos, primos e netos, inclusive para pessoas mais jovens e adultas, curtirem o feriado de 12 de outubro, afinal, ser criança não tem idade.

–  A Bela e a Fera (Beuty and the Beast, 1991): com Robby Benson, Paige O’ Hara e Jerry Orbach. Dirigido por Gary Trousdale e Kirk Wise.

Sinopse: no início desta fábula clássica, uma feiticeira transforma um príncipe cruel em uma fera horrenda. Para quebrar o feitiço, a fera precisa conquistar o amor da linda e inteligente Bela, antes que caia a última pétala de uma rosa encantada. Uma obra-prima do cinema moderno, A Bela e a Fera, da Disney, conquistou seis indicações ao Oscar, incluindo a de Melhor Filme – um feito inédito para um filme de animação – vencendo dois Oscar: Melhor Canção e Melhor Trilha Instrumental. Com sua incomparável combinação de magia, música, uma narrativa genial, animação deslumbrante e personagens populares, A Bela e a Fera irá encantar jovens e adultos, relembrando a todos que a verdadeira beleza está dentro de nós.

–  Toy Story (1995): com Tom Hanks e Tim Allen. Dirigido por John Lasseter.

Sinopse: Andy é um menino afortunado de brinquedos. Seu aniversário está próximo e, com isso, ele deve ganhar mais alguns para sua coleção. Porém, os brinquedos mais antigos têm medo de que sejam trocados por alguma invenção tecnológica de última geração, perdendo a preferência do jovem. É quando chega ao quarto Buzz Lightyear, um boneco de última geração sensação do momento, que entra em conflito direto com Woody, um cowboy e boneco preferido de Andy.

–  O Rei Leão (The Lion King, 1994): com Matthew Broderick, James Earl Jones e Jeremy Irons. Dirigido por Roger Allers e Rob Minkoff.

Sinopse: Mufasa (James Earl Jones), o Rei Leão, e a rainha Sarabi (Madge Sinclair) apresentam ao reino o herdeiro do trono, Simba (Matthew Broderick). O recém-nascido recebe a bênção do sábio babuíno Rafiki (Robert Guillaume), mas ao crescer é envolvido nas artimanhas de seu tio Scar (Jeremy Irons), o invejoso e maquiavélico irmão de Mufasa, que planeja livrar-se do sobrinho e herdar o trono.

–  101 Dálmatas (101 Dalmatians, 1961): com Rod Taylor e Ben Wright. Dirigido por Clyde Geronimi e Hamilton Luske.

Sinopse: Cruella, uma malvada e excêntrica estilista e fanática pela pele de cachorros da raça dálmata, resolve sequestrar os filhotes de Pongo e Pedrita, um casaldessa raça que teve 15 filhotinhos. Agora Perdita e Pongo saem desesperados e recorrem aos outros animais para ajudá-los a encontrar seus filhotes.

Lilo & Stich (2002): com Daveigh Chase e Chris Sanders. Dirigido por Dean DeBlois e Chris Sanders.

Sinopse: Lilo (Daveigh Chase) é uma pequena garota havaiana de 5 anos que adora cuidar de animais menos favorecidos e vive com sua irmã Nani (Tia Carrere). Lilo tem o costume de coletar lixo reciclável nas praias para, com o dinheiro recebido, comprar comida para peixes e nadar até o alto-mar para alimentá-los. Até que, num belo dia, ela encontra um cachorro e decide adotá-lo. Entretanto, este cachorro na verdade é Stitch (Chris Sanders), um ser alienígena que é um dos criminosos mais perigosos da galáxia. Stitch foi preso em um planeta distante pela polícia interplanetária, mas ao ser encaminhado para um planeta-prisão consegue escapar, caindo acidentalmente na Terra. Agora, para escapar da polícia que ainda o persegue, Stitch esconde quatro de suas seis pernas e decide se fazer passar por um cachorro comum, desenvolvendo com o tempo um laço de amizade com Lilo.

–  Fantasia ( Fantasia, 1940): com Deems Taylor. Dirigido por James Algar e Samuel Armstrong.

Sinopse: inicialmente Walt Disney planejava apenas produzir “O Aprendiz de Feiticeiro”, como curta-metragem isolado. Entretanto, os custos para a produção do curta seriam tão altos que Disney aceitou o conselho dado por Leopold Stokowski para que fizesse um longa-metragem composto por diversos curtas de mesmo estilo, de forma a compensar um pouco os altos custos de sua produção.
Oito composições clássicas serviram de inpiração e suporte sonoro para os desenhos da Disney. Sua equipe de animadores criou aquilo que seria imortalizado nas palavras: “música para ser vista e pintura para ser ouvida” – uma experiência inovadora para a época. São oito composições sob a batuta do maestro Leopold Stokowski regendo a Philadelphia Orchestra: “Toccata e Fuga em Ré Menor”, de Johann Sebastian Bach; “Suíte Quebra-Nozes”, de Peter Ilich Tchaikovsky; “O Aprendiz de Feiticeiro”, de Paul Dukas; “Sagração da Primavera”, de Igor Stravinsky; “Sinfonia Pastoral”, de Ludwig Van Beethoven; “Dança das Horas”, de Almicare Ponchielli; “Noite no Monte Calvo”, de Modest Mussorgsky; e “Ave Maria”, de Franz Schubert. A música do episódio “O Aprendiz de Feiticeiro” é a única de Fantasia que não foi gravada pela Orquestra de Filadélfia.

Aladdin (Aladdin, 1992): com Scott Weinger e Robin Willians. Dirigido por: Ron Clements, John Musker.

Sinopse: após o sultão ordenar que sua filha, a princesa Jasmine, ache um marido rapidamente, ela foge do palácio. Jasmine encontra um tipo meio malandro, Aladdin, que conquista seu coração. Porém ambos são achados pelos guardas de Jafar, o vizir do sultão. Jafar criou um feitiço para dominar o sultão, se casar com Jasmine e se tornar ele mesmo o sultão. Além disto finge que cometeu um engano e mandou decapitar Aladdin, que na verdade está vivo, pois Jafar precisa dele para conseguir uma lâmpada mágica, que é a morada de um poderoso gênio. Mas o plano de Jafar falha, pois Aladdin fica com a lâmpada graças a intervenção de um pequeno macaco, Abu, seu fiel mascote. Quando descobre que há na lâmpada um gênio poderoso, que pode se transformar em qualquer pessoa ou coisa e que lhe concederá três desejos, Aladdin planeja usá-los para conquistar Jasmine, sem imaginar que Jafar é um diabólico inimigo, que precisa ser detido.

Tarzan (Tarzan, 1999): com Tony Goldwyn e Minnie Driver. Digido por Chris Buck e Kevin Lima.

Sinopse: Um jovem órfão é criado na selva por gorilas. Porém, quando um grupo de pesquisadores chega ao local onde vive, Tarzan descobre que é um ser humano e que precisa escolher entre os dois mundos. Adaptação do romance de Edgar Rice Burroughs.

O Corcunda de Notre Dame (Hunchback of Notre Dame, 1996): com Tom Hulce, Demi Moore e Kevin Kline. Dirigido por Gary Trousdal e Kirk Wise

Sinopse: em Paris, durante a Idade Média, Quasímodo (Tom Hulce), um corcunda, vive desde criança escondido na Catedral de Notre Dame. Porém, um dia, decide sair de seu esconderijo e conhecer o mundo que o cerca. Durante sua aventura conhece Esmeralda (Demi Moore), uma bela cigana por quem se apaixona. Mas, para conseguir seu amor, Quasímodo terá que enfrentar seu poderoso rival Claude Frollo (Tony Jay).

O Estranho Mundo de Jack (Nightmare Before Christmas, 1993): com Chris Sarandon e Catherine O’ Hara. Dirigido por Henry Selick.

Sinopse: Jack Skellington, dublado pelo ator Chris Sarandon, é uma famosa celebridade da cidade de Halloweentown, onde comemoram fervorozamente o dia das bruxas todo ano. Apesar de ser muito querido pelas pessoas da cidade, Jack sente que sua vida não está exatamente completa e deseja que algo mais, não sabendo exatemente o quê, aconteça. Um dia, enquanto caminha pelos bosques com seu cachorro Zero, ele encontra um círculo de árvores que nunca havia visto, cada uma com uma porta e título em seu tronco. Antes que Jack conseguisse pensar direito, ele é sugado por uma das portas e vai parar num mundo de neve, luzes e felicidade: A Cidade do Natal. Maravilhado com aquele mundo, ele retorna a Halloweentown, acreditando que isso era exatamente o que ele procurava. Ele tenta mostrar a todos os habitantes os objetos conseguido na outra cidade, mas as pessoas não parecem lhe dar muita atenção e só pensam em como devem organizar o evento de dia das bruxas. Mas Jack não desistirá de sua idéia e tentará montar um evento de natal em sua cidade, no entanto, encontrará muitos obstáculos. Sally (dublada por Catherine O’Hara), uma das cidadãs que o ama secretamente, tentará fazer de tudo para que não aconteça nada de errado com Jack, ao mesmo tempo que tenta ficar mais próxima de ser amor.

Shrek (Shrek, 2001): com Mike Myers, Eddie Murphy e Cameron Diaz. Dirigido por Andrew Adanson.

Sinopse: em um pântano distante vive Shrek (Mike Myers), um ogro solitário que vê, sem mais nem menos, sua vida ser invadida por uma série de personagens de contos de fada, como três ratos cegos, um grande e malvado lobo e ainda três porcos que não têm um lugar onde morar. Todos eles foram expulsos de seus lares pelo maligno Lorde Farquaad (John Lithgow). Determinado a recuperar a tranquilidade de antes, Shrek resolve encontrar Farquaad e com ele faz um acordo: todos os personagens poderão retornar aos seus lares se ele e seu amigo Burro (Eddie Murphy) resgatarem uma bela princesa (Cameron Diaz), que é prisioneira de um dragão. Porém, quando Shrek e o Burro enfim conseguem resgatar a princesa logo eles descobrem que seus problemas estão apenas começando

A Era do Gelo (Ice Age, 2002): com Ray Romano, John Leguizamo e Denis Leary. Dirigido por Chris Wedge e Carlos Saldanha.

Sinopse: a história acontece na Era Glacial. Manfred “Manny” é um mamute mal-humorado e teimoso que odeia a vida em sociedade e se esforça para fazer tudo do seu modo. Sid é uma preguiça folgada que foi abandonada por seu bando. Diego é um tigre dente-de-sabre astuto que foi enviado por seu chefe a uma complicada missão. Os destinos desses três animais tão diferentes são unidos por um bebê humano. Com o objetivo de levar a criança até seu pai, o grupo inicia uma longa jornada rumo ao norte, uma das regiões mais frias do globo naquela época. O problema é nem todos têm o mesmo objetivo, fato que pode tornar as coisas ainda mais difíceis.

A Viagem de Chihiro (Spirited Away, 2001): com Rumi Hiragi, Miyu Irino e Mari Natsuki. Dirigido por Hayao Miyazaki.

Sinopse: o filme vencedor do Festival de Berlim e do Oscar de Melhor Animação conta a história de Chihiro, uma mimada garota de 10 anos. Após saber através de seus pais que estarão mudando para uma nova cidade ela fica furiosa, sem fazer nenhum esforço para esconder sua raiva. Em meio a lembranças de seus amigos que terá que deixar, Chihiro percebe que seu pai se perdeu no caminho para a nova cidade onde irão morar, indo parar defronte um túnel aparentemente sem fim que é guardado por uma estranha estátua. Curiosos, os pais de Chihiro decidem entrar no túnel. Apesar dos pedidos para voltarem ao carro, Chihiro acaba seguindo junto com eles para descobrir que ele leva a um mundo aparentemente deserto, onde existe uma cidade sem nenhum habitante. Famintos, os pais de Chihiro decidem comer a comida que está disponível em uma das casas, enquanto que a própria Chihiro decide explorar um pouco a cidade. Entretanto, logo ela encontra com Haku, um garoto que lhe diz para ir embora da cidade o mais rápido possível. Ao reencontrar seus pais, Chihiro fica surpresa ao ver que eles se transformaram em gigantescos porcos, enquanto que misteriosos seres começam a surgir do nada. É o início da jornada de Chihiro em um mundo fantasma, povoado por seres fantásticos, no qual humanos não são bem-vindos.

Depois desta interminável lista de animações, acredito que todos tenham diversas opções de filme para alugar, baixar, comprar, etc. Todos esses filmes que indiquei são ótimos, só peço desculpas pelo monopólio evidente de filmes da Disney, mas fazer o que? Minha ela foi importante na minha infância e continua sendo até hoje.

Espero que todos tenham um ótimo feriado :D!

É triste saber que não se ganha mais presente em todos os feriados do ano :'(. Créditos às sinopses aos sites Cinema com Rapadura e Cineplayers.

Anúncios
Publicado em For the Weekend por Matheus Fragata. Marque Link Permanente.

Sobre Matheus Fragata

Formado em cinema pela UFSCar seguindo o sonho de me tornar Diretor de Fotografia. Sou apaixonado por filmes desde que nasci, além de ser fã inveterado do cinema silencioso e do grande mestre Hitchcock. Acredito no cinema contemporâneo, tenho fé em remakes e reboots, aposto em David Fincher e me divirto com as bobagens hollywoodianas. Tenho sonhos em 4K, coloridos e em preto e branco. Sempre me emociono com as histórias contadas por esta arte. Agora busco a oportunidade de emocionar alguém com as que tenho para contar

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s