Lista: Qual música era aquela?

Margot-Robbie-The-Wolf-of-Wall-Street

Na primeira aula do primeiro curso que um roteirista aspirante for frequentar, é bastante provável que ele ouça duas recomendações importantes: a primeira delas é evitar escrever “Fulano pensa” nos cabeçalhos de suas cenas, como ele faria num texto literário comum; a segunda é “Não construa cenas em cima de canções” ou algo do tipo.

Embora a segunda regra tenha um fundamento prático (dificilmente um roteirista poderá afirmar com certeza que tal canção estará disponível mais tarde para ser inserida no filme propriamente dito), muitos cineastas têm prazerosamente quebrado tal regra em algum momento do processo de produção. Por causa disso, podemos saborear momentos musicais dentro dos enredos que, muitas vezes, marcam na memória muito mais que os filmes inteiros.

É difícil determinar quem primeiramente decidiu inserir uma canção pronta (e reconhecida) sobre uma cena de um novo filme, mas – ao menos modernamente – é Martin Scorsese um diretor pródigo em construir climas cinematográficos onde uma música popular sublinha as imagens ou lhes dota de localização temporal (e emocional), como nesta famosa sequência de “Os Bons Companheiros” com a faixa Layla (Derek and Dominos):

Todo mundo já deve ter passado pela experiência de ouvir uma música no rádio e ser remetido a uma sessão de cinema do passado, ou assistir a um filme e ficar até o final dos créditos para descobrir, afinal, “qual canção é aquela”. Um australiano e um ucraniano criaram um divertido site que procura responder a questões como essa (http://www.what-song.com/).

Abaixo, seleciono alguns dos meus momentos prediletos em filmes (uns melhores, outros piores) onde canções enriquecem em muito a experiência cinematográfica.

“Song to the siren” (This Mortal Coil) em “Estrada Perdida”, de David Lynch. A mesma canção é ouvida em “Um Olhar do Paraíso” de Peter Jackson:

“Relax” (Frank goes to Hollywood) em “Dublê de Corpo”, de Brian De Palma:

Outro momento criado por David Lynch, em “Veludo Azul”, com Roy Orbison e sua canção “In Dreams”:

Aqui, o adorável momento ao som de “If there is something” (Roxy Music) em “Reflexos da Inocência”:

“Ça plane pour moi” (Plastic Bertrand) em “O Lobo de Wall Street”:

“Don’t worry be happy” (Bobby McFerrin) em “Soldado Anônimo”:

E finalmente a abertura de “Cães de Aluguel” com “Little Green Bag” (George Baker Selection):

E você, conseguiu descobrir, afinal, “qual música era aquela”?

Anúncios
Publicado em Listas por Daniel Moreno. Marque Link Permanente.

Sobre Daniel Moreno

Realizador audiovisual independente: diretor, roteirista e produtor. Ao ouvir o que eu tenho a dizer, você estará dando ouvidos a um discurso completamente diferente daquele de outros cineastas brasileiros. Aqui, não há espaço para estatismo e bajulação a governos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s