In Memoriam: Peter Falk

PETER FALK – O HOMEM COLUMBO, ENFIM, TERMINA SEU ÚLTIMO CHARUTO

Uma vez, quando iniciava a minha adolescência, ouvi minha mãe dizer —  “Nossa, você está tão chato quanto o Columbo”. Nem imaginava quem era mas, pelo comentário, fui fuçar no youtube e encontrei o impagável desleixado detetive da série que imortalizou Peter Falk no mundo inteiro. E, nessa época, descobri, que esse seriado, além de ser muito interessante, teve o seu primeiro episódio dirigido por Steven Spielbeg. Hoje, 24 de junho, depois de encarar diversos problemas de saúde e ser portador do mal de Alzheimer e não reconhecer mais ninguém, o ator, que concorreu a dois Oscar como melhor ator coadjuvante, faleceu.

Judeu, filho de pai russo e mãe tcheca, Peter Falk teve um tumor maligno em um dos olhos aos três anos de idade, mas isso não mudou o que sonhava para sua vida. Estudou, fez mestrado em ciências políticas pela Universidade de Siracusa e depois de ter tentado se integrar a agência americana de inteligência, a CIA, iniciou sua carreira como funcionário público e, depois de um tempo, desistiu e foi para a Broadway fazer comédia. Não demorou a ser descoberto por Hollywood, onde estrelou vários filmes e concorreu ao Oscar por “Assassinato S.A.” e “Dama por Um Dia”, dirigido por Frank Capra.

Continuar lendo

Anúncios

In Memoriam: Sidney Lumet

SIDNEY LUMET, UM GÊNIO RECONHECIDO TARDIAMENTE POR HOLLYWOOD

Quinzena triste para Hollywood. Primeiro, morreu Liz Taylor, uma atriz consagradíssima. Agora, vai Sidney Lumet, um dos diretores mais brilhantes da história do cinema, que marcou a década de 70, que não foi reconhecido como deveria pela indústria do cinema. Quem assistiu a um de seus filmes, não se esquece nunca.

O primeiro que me lembro foi com um elenco excepcional, Assassinato no Expresso Oriente, onde virava a todo momento para minha mãe e dizia – “Nossa, tenho certeza que foi esse o assassino.“ Dez minutos depois – “Não, esse é o assassino!”. Bem, quem era o assassino, eu não conto aqui, mas quem assistiu provavelmente sentiu a mesma emoção que estou narrando. Ninguém adaptou outra obra da célebre escritora inglesa de mistério Agatha Christie como ele. Continuar lendo

In Memoriam: Elizabeth Taylor

Liz Taylor, mais um mito do cinema, deixa um trabalho de ouro para o cinema mundial.

Liz Taylor, a atriz com encantadores olhos cor de violeta, ou a mulher que nunca deixou de acreditar no casamento (foi casada oito vezes, duas com o ator Richard Burton), morreu hoje, em Los Angeles e deixou um legado de trabalho incrível para os cinéfilos, além de atitudes corajosas que marcaram época em um mundo preconceituoso, usando sua imagem para demonstrar que tudo pode ser mudado.

Com uma carreira iniciada ainda criança – Liz foi descoberta aos 10 anos pela Universal Studios quando filmou “There’s One Born Every Minute” –, a atriz amadureceu frente às câmeras. Trabalhou em filmes famosos nos anos 50, na grande maioria dramas como e Assim Caminha a Humanidade, onde foi atriz principal juntamente com Rock Hudson. Esse filme marcou a trágica trajetória de James Dean, um ator promissor que teve morte prematura em um acidente de carro. Liz Taylor, nessa época, tornou-se amiga dos dois atores com quem contracenou nesse filme, ambos homossexuais e, por esse relacionamento forte entre eles, depois da morte de Hudson por causa da AIDS, tornou-se a grande batalhadora em campanhas para arrecadar fundos para a pesquisa do HIV.

Uma mulher brilhante

A carreira de Liz Taylor foi marcada por personagens marcantes levando-a a ganhar o Oscar duas vezes como melhor atriz por suas interpretações em “Quem tem medo de Virginia Wolf?”, 1967, na personagem Martha, uma mulher de meia-idade casada com George (Richard Burton), dois intelectuais que se amam e se odeiam ao mesmo tempo e, quando voltam de uma festa, oferecem carona a um casal Nick (George Segal) e Honey (Sandy Dennis) e, com todos embriagados a verdade, em um jogo proposto pelo marido dela, transforma a vida deles para sempre.

Em 1961, a atriz já havia conseguido o seu primeiro Oscar por sua interpretação em Disque Butterfield 8, onde interpretou Gloria Wandrous, uma mulher atormentada cheia de casos amorosos que acaba se envolvendo com um homem casado, Laurence Harvey no papel de Weston Liggett, absolutamente problemático.

Elizabeth Taylor fez outro marco do cinema, Cleópatra, um filme que quase quebrou a 20th Century Fox pelo orçamento que de 2 milhões de dólares saltou para 44 milhões, o que seria algo acima de 290 milhões atualmente. A atriz, que viveu a personagem principal, foi a primeira a receber 1 milhão de dólares pela sua participação no filme, algo absolutamente inusitado para a época.

Olhos que marcaram época

Dona de uma voz maravilhosa, seus olhos marcaram todos os filmes que participou. Depois do advento dos filmes coloridos, seus olhos de tom violeta e as espessas sobrancelhas negras foram filmados em close por vários diretores e a sua beleza, impar, transformaram-na em um dos maiores mitos do cinema.

Quem esquecerá a atriz em “A Megera Domada” como Catarina, dirigida por Franco Zeffirelli ou em Gata em Teto de Zinco Quente como Maggie Pollit, a esposa intrometida do advogado Harvey Pollit, interpretado brilhantemente por Paul Newman?

Compulsiva consumidora de jóias, a atriz em uma época de sua vida, ganhou o maior anel de brilhantes do mundo do então marido Richard Burton e, junto com ele, enfrentou várias vezes, um problema sério em família – o alcoolismo. Teve quatro filhos, sendo a última adotada, Maria Burton.

Ganhou prêmios mundiais de cinema e foi à primeira atriz a se dedicar a ações filantrópicas sendo reconhecida mundialmente por isso. O cinema está de luto. Os cinéfilos também. Morreu hoje, 23 de março, aos 79 anos de idade de insuficiência cardíaca.

Memorable Quotes

Big girls need big diamonds.”

“I am a very committed wife. And I should be committed too – for being married so many times.”

“I don’t think President Bush is doing anything at all about Aids. In fact, I’m not sure he even knows how to spell Aids.”

“I have a woman’s body and a child’s emotions.”

“I suppose when they reach a certain age some men are afraid to grow up. It seems the older the men get, the younger their new wives get.”

“It is strange that the years teach us patience; that the shorter our time, the greater our capacity for waiting.”

“I’ve only slept with men I’ve been married to. How many women can make that claim?”

“I’m a survivor – a living example of what people can go through and survive.”

“It’s not the having, it’s the getting.”

“Marriage is a great institution.”

“My mother says I didn’t open my eyes for eight days after I was born, but when I did, the first thing I saw was an engagement ring. I was hooked.”

“People who know me well, call me Elizabeth. I dislike Liz.”

“When people say, ‘She’s got everything’, I’ve got one answer – I haven’t had tomorrow.”

“You find out who your real friends are when you’re involved in a scandal.”

“So much to do, so little done, such things to be.”

“The problem with people who have no vices is that generally you can be pretty sure they’re going to have some pretty annoying virtues.”

Assim Caminha a Humanidade


Welcome to the night of the 83th Oscar

A ‘’83th Academy Awards’’ acontece agora nesse próximo domingo às 22:00 transmitida pela TNT e pela TV Globo. O Oscar talvez seja o evento mais importante para várias pessoas que trabalham com cinema, sejam eles cineastas, editores, compositores, cinegrafistas, atores, etc. E a frase que eles mais querem ouvir nesta noite na mágica terra de Los Angeles é ‘’And the Oscar goes to…” de preferência com seus nomes no final.

Essa será a primeira vez que o “Bastidores” fará um especial sobre este evento importantíssimo para o cinema. Citarei todos os indicados de todas as categorias e os que tiverem os seus nomes em negrito são minhas apostas para o Oscar. Também colocarei no final de cada categoria quem eu gostaria que ganhasse e meu parceiro de blog, Raphael Nogueira, também dará suas indicações. Espero que gostem!

Melhor filme:
– “A Rede Social
“O Discurso do Rei”
– “Cisne Negro
– “O Vencedor
– “A Origem
– “Toy Story 3”
– “Bravura Indômita
– “Minhas Mães e Meu Pai”
– “127 Horas
– “Inverno da Alma”

Matheus: Se “Bravura Indômita” levasse ficaria igualmente satisfeito.

Raphael: Eu acho que “Cisne Negro” ganhará este ano, mas queria que fosse “127 Horas”

Quem ganhou: “O Discurso do Rei” – palpite correto.

Melhor diretor:
David Fincher – “A Rede Social”
– Tom Hooper – “O Discurso do Rei”
– Darren Aronofsky – “Cisne negro”
– Joel e Ethan Coen – “Bravura indômita”
– David O. Russell – “O Vencedor”

Matheus: Se Aranofsky ou Tom Hooper levassem o prêmio, seria esplêndido.

Raphael: Joel e Ethan Coen, com certeza.

Quem ganhou: Tom Hooper surpreende a todos inclusive a mim – chute correto.

Melhor ator:
– Jesse Eisenberg – “A Rede Social”
– Colin Firth – “O Discurso do Rei”
– James Franco – “127 Horas”
– Jeff Bridges – “Bravura indômita”
– Javier Bardem – “Biutiful”

Matheus: Como John Wayne ganhou por seu papel como Cogburn no “Bravura”original, é bem capaz que Bridges leve também.

Raphael: Na categoria masculina, James Franco, sem sombra de dúvida

Quem ganhou: Colin Firth por “O Discurso do Rei” – palpite correto.

Melhor atriz:
– Annette Bening – “Minhas Mães e Meu Pai”
– Natalie Portman – “Cisne negro”
– Nicole Kidman – “Rabbit Hole”
– Michelle Williams – “Blue Valentine”
– Jennifer Lawrence – “Inverno da Alma”

Matheus: Annette Bening também merece o Oscar esse ano.

Raphael: Natalie Portman, eu escolho você!

Quem ganhou: Natalie Portman por “Cisne Negro” – palpite correto

Melhor ator coadjuvante:
– Mark Ruffalo – “Minhas Mães e Meu Pai”
– Geoffrey Rush – “O Discurso do Rei”
– Christian Bale – “O Vencedor”
– Jeremy Renner – “Atração Perigosa”
– John Hawkes – “Inverno da Alma”

Matheus: Geoffrey Rush também tem chances altas de ganhar.

Raphael: Christian Bale.

Quem ganhou: Christian Bale por “O Vencedor” – palpite correto

Melhor atriz coadjuvante:
– Helena Bonham Carter – “O Discurso do Rei”
– Melissa Leo – “O Vencedor”
– Amy Adams – “O Vencedor”
– Hailee Steinfeld – “Bravura indômita”
– Jacki Weaver – “Reino Animal”

Matheus: Se Hailee Steinfield levasse, seria uma surpresa muito boa.

Raphael: Melissa Leo chamou a atenção.

Quem ganhou: Melissa Leo por “O Vencedor” – palpite correto

Melhor roteiro original:
– “Minhas mães e meu pai”
– “O vencedor”
– “A origem”
– “O Discurso do Rei”
– “Another year”

Matheus:  Dessa vez concordo com meu negrito.

Raphael: “A Origem” levará o prêmio.

Quem ganhou: “O Discurso do Rei” de David Seidler – palpite correto

Melhor roteiro adaptado:
– “A Rede Social”
– “127 horas”
– “Bravura indômita”
– “Toy Story 3”
– “Inverno da alma”

Matheus: “Toy Story 3” também merece um destaque.

Raphael: “127 Horas”, parabéns.

Quem ganhou: “A Rede Social” de Aaron Sorkin – palpite correto

Melhor longa-metragem de animação:
– “Como Treinar o Seu Dragão”
– “O Mágico
– “Toy Story 3”

Matheus: Ficaria surpreso se “O Mágico” levasse.

Raphael: A decisão foi difícil, mas eu chutaria “Toy Story 3”.

Quem ganhou: “Toy Story 3” – palpite correto

Melhor direção de arte:
– “Alice no País das Maravilhas”
– “Harry Potter e as Relíquias da Morte – Parte 1
– “A Origem”
– “O Discurso do Rei”
– “Bravura indômita”

Matheus: É bem capaz que “A Origem” tire o Oscar do inglês.

Raphael: “Bravura Indômita”.

Quem ganhou: “Alice no País das Maravilhas”

Melhor fotografia
– “Cisne Negro”
– “A Origem”
– “O Discurso do Rei”
– “A Rede Social”
– “Bravura Indômita”

Matheus: “O Discurso do Rei” e “Cisne Negro” tem altas chances de ganhar.

Raphael: “Cisne Negro”, impressionou.

Quem Ganhou: “A Origem” e novamente Roger Deakins perde seu oscar.

Melhor figurino
– “Alice no País das Maravilhas”
– “I am love”
– “O Discurso do Rei”
– “Bravura Indômita”
– “The Tempest”

Matheus: “Bravura Indômita” também tem chances de ganhar

Raphael: Eu escolheria “Alice no País das Maravilhas”.

Quem ganhou: “Alice no País das Maravilhas” – Raphael acertou

Melhor documentário (longa-metragem)
– “Exit through the gift shop”
– “Gasland”
– “Inside Job”
– “Restrepo”
– “Lixo Extraordinário”

Matheus: “Lixo Extraordinário” seria o primeiro filme brasileiro a levar o Oscar, apesar de ser uma produção binacional.

Raphael: “Lixo Extraordinário”, por falta de opção.

Quem ganhou: “Inside Job” – palpite correto

Melhor documentário (curta-metragem)
– “Killing in the name”
– “Poster girl”
– “Strangers no more”
– “Sun come up”
– “The Warriors of Qiugang”

Matheus: Não assisti nenhum, então não argumentarei.

Raphael: Anne Hathaway, escolhe você vai.

Quem ganhou: “Strangers No More”

Melhor edição
– “Cisne Negro”
– “O Vencedor”
– “O Discurso do Rei”
– “127 horas”
– “A Rede Social”

Matheus: Jon Harris definitivamente merece o Oscar, apesar de ter gostado muito da edição de “O Discurso do Rei” e “Cisne Negro”

Raphael: “127 Horas” pelas brilhantes montagens.

Quem ganhou: “A Rede Social” – um dia Jon Harris ganhará seu reconhecimento.

Melhor filme de língua estrangeira
– “Biutiful”(México)
– “Dogtooth” (Grécia)
– “In a better world” (Dinamarca)
– “Incendies” (Canadá)
– “Outside the law” (Argélia)

Matheus: Concordo com minha aposta, mas “Incendies” é muito bom também.
Raphael: “Biutiful”.

Quem ganhou: “In a Better World”

Melhor trilha sonora original
– “Como treinar seu dragão” –  John Powell
– “A Origem” – Hans Zimmer
– “O Discurso do Rei” – Alexandre Desplat
– “127 horas” – A.R. Rahman
– “A Rede Social” – Trent Reznor e Atticus Ross

Matheus: A.R. Rahman também deveria levar, mas Desplat estava muito inspirado em suas composições. Zimmer seria uma escolha sábia.

Raphael: “O Discurso do Rei” leva.

Quem ganhou: “A Rede Social” de Trent Reznor e Atticus Ross, é o favoritismo dando suas caras.

Melhor canção original
– “Coming Home”, de “Country Strong”
– “I see the light”, de “Enrolados
– “If I rise”, de “127 horas”
– “We belong together”, de “Toy Story 3”

Matheus: é impossível não ficar animado com “We Belong Together” que levará com certeza, mas “I See the Light” é muito boa também.

Raphael: Weeee belooonnng togetheeeerrrr

Quem ganhou: “We Belong Together” de Randy Newman – palpite correto.

Melhor curta-metragem
– “The Confession”
– “The Crush”
– “God of love”
– “Na Wewe”
– “Wish 143”

Matheus: não assisti nenhum curta indicado ao Oscar esse ano, mas se quiserem conferir um bem legal, basta acessar o Vodpod ao lado e assistir “Oliver”, curta protagonizado por mim.

Raphael: Idem.

Quem ganhou: “God of Love”

Melhor curta-metragem de animação
– “Day & Night”
– “The gruffalo”
– “Let’s pollute”
– “The lost thing”
– “Madagascar, carnet de voyage”

Matheus: concordo com minha aposta.

Raphael: “ Let’s Pollute”, na minha opinião.

Quem ganhou: “The Lost Thing”

Melhor edição de som
– “A Origem
– “Toy Story 3”
– “Tron: o legado
– “Bravura Indômita”
– “Incontrolável”

Matheus: “A Origem” é favorito na categoria.

Raphael: “Tron: O Legado”, a edição é muito boa.

Quem ganhou: “A Origem” – palpite correto

Melhor mixagem de som
– “A Origem”
– “O Discurso do Rei”
– “Salt”
– “A Rede Social”
– “Bravura Indômita”

Matheus: “O Discurso do Rei” também pode levar, assim como “Bravura”

Raphael: “O Discurso do Rei”, principalmente pela mixagem do microfone.

Quem ganhou: “A Origem” – palpite correto

Melhores efeitos visuais
– “Alice no País das Maravilhas”
– Harry Potter e as Relíquias da Morte – Parte 1″
– “Além da vida
– “A Origem”
– “O Homem de Ferro 2”

Matheus: Será triste ver “Além da Vida” perder.

Raphael: “A Origem” provavelmente ganhará, mas “Além da Vida” não está longe.

Quem ganhou: “A Origem” – palpite correto

Melhor maquiagem
– “Minha versão para o amor”
– “Caminho da liberdade”
– “O Lobisomem”

Matheus: não tem nem discussão sobre isso.

Raphael: “O Lobisomem”, sempre.

Quem ganhou: “O Lobisomem” – palpite correto

Total: 14 palpites corretos e 2 chutes corretos.

Desde a edição do Oscar de 1995, os filmes nunca foram tão concorridos – naquele ano “Forrest Gump”, “Pulp Fiction” e “As Loucuras de Rei George” estavam concorrendo  a melhor filme. Espero que comentem e deixem suas impressões sobre a minha lista. As críticas existentes dos filmes indicados estão lincadas na primeira vez que eles aparecem na lista, confiram! Ah, e não percam a cerimônia do Oscar, amanhã, “só na TNT”.

Algumas curiosidades a respeito dos 6 meses de atividade em 2010

Os duendes das estatísticas do WordPress.com analisaram o desempenho deste blog em 2010 e apresentam-lhe aqui um resumo de alto nível da saúde do seu blog:

Healthy blog!

O Blog-Health-o-Meter™ indica: Este blog está em brasa!.

Números apetitosos

Imagem de destaque

Um Boeing 747-400 transporta 416 passageiros. Este blog foi visitado cerca de 2,300 vezes em 2010. Ou seja, cerca de 6 747s cheios.

 

Em 2010, escreveu 68 novos artigos, nada mau para o primeiro ano! Fez upload de 277 imagens, ocupando um total de 28mb. Isso equivale a cerca de 5 imagens por semana.

The busiest day of the year was 3 de setembro with 100 views. The most popular post that day was Crítica: Nosso Lar.

De onde vieram?

Os sites que mais tráfego lhe enviaram em 2010 foram filmow.com, orkut.com.br, facebook.com, twitter.com e stumbleupon.com

Alguns visitantes vieram dos motores de busca, sobretudo por killers movie, machete, karate kid 2010, scott pilgrim e jackass 3d

Atracções em 2010

Estes são os artigos e páginas mais visitados em 2010.

1

Crítica: Nosso Lar agosto, 2010
10 comentários

2

Crítica: “Machete” dezembro, 2010

3

Info agosto, 2010
2 comentários

4

Crítica: “Demônio” novembro, 2010
6 comentários

Especial: 11/09

Uma década se passou desde que as duas torres foram ao chão. É incrível que ninguém esquece  o que estava fazendo aquela manhã. Era uma terça ensolarada no dia 11/09. Eu só tinha 7 anos e estava cursando a primeira série.

Lembro que estava assistindo alguma coisa na tv, algum desenho, mas não consigo me lembrar qual, quando, de repente a programação foi interrompida com aquela MALDITA  música do plantão da Globo com a notícia de arrancar a sua alma: “Aconteceu uma tragédia. Uma tragédia da qual o mundo não vai se esquecer. Hoje, dia 11 de setembro de 2001, as torres gêmeas de Nova York não existem mais.”.  E as imagens começaram a surgir. Uma mais horrível e cruel que a outra.

Pessoas saltavam dos prédios para tentar salvar suas vidas, completamente em chamas. Essa deve ter sido a imagem mais impactante para mim naquela manhã. Depois de alguns anos descobri que havia acontecido uma coisa parecida em São Paulo. O edifício Joelma em chamas, causado por alguma explosão dentro prédio, com as imagens, novamente, de pessoas saltando do prédio se salvarem.

Outra coisa que me lembro bem era o som que invadia meus ouvidos, daquelas sirenes, das mulheres gritando, dos policiais xingando Deus e o mundo e o clássico “OH MY GOD!”, além dos inúmeros choros que ecoavam no caos.

E, por fim, depois de 120 minutos de horror, a Torre Norte encontra o solo acimentado de New York, levando consigo aquela fumaça para o chão. Lembro-me de uma imagem que mostrava pessoas correndo para longe dela e a fumaça vinha rapidamente levando vários jornais, escombros e o sangue impregnado daquele horror que o mundo testemunhou.

Os cidadãos andavam empoeirados, completamente perdidos no meio dos escombros.

Poucos minutos depois, a segunda torre cai trazendo a mesma fumaça com os mesmas características. Logo após vem outra notícia que outro avião atingiu o Pentágono e que mais um havia caído na Pensilvânia.

É importante lembrar também do sofrimento (que deve ter sido 10x pior) que vários civis palestinos testemunharam depois desse evento. E, claro, a guerra no Afeganistão.

Sem mais palavras, indico aos interessados alguns filmes/documentários que selecionei. Alguns retratam os eventos ocorridos, alguns retratam o drama das famílias e outros retratam a saúde, que ficou completamente devastada graças a inalação de gases tóxicos, dos heróis do 11/09 .

Farenheit 11/09: documentário dirigido pelo brilhante Michael Moore.

Sinopse: outro polêmico e premiado filme do diretor de “Tiros em Columbine”. O documentário analisa discursos do presidente dos Estados Unidos, e, em seguida, apresenta imagens que se contradizem com suas palavras. Revela as estreitas relações pessoais e financeiras entre as famílias de George Bush e a de Bin Laden. O filme lança, também, a polêmica de que membros da família Bin Laden puderam sair dos Estados Unidos sem serem interrogados pelo FBI.

–  Sicko – $.O.$. Saúde (Sicko): outro documentário dirigido pelo Michael Moore.

Sinopse: “Sicko – $O$ Saúde” é o novo documentário de Michael Moore (“Tiros em Columbine” e “Fahrenheit 11 de Setembro”). Inicialmente anunciado como um documentário sobre a indústria farmacêutica, várias empresas desta área prontamente tomaram medidas para evitar o acesso de Michael Moore a quaisquer informações comprometedoras e aconselharam os seus funcionários a não dialogar com o cineasta. Irreverente e incisivo como habitualmente, Moore surpreendeu de novo, produzindo um documentário sobre o lucrativo sistema de saúde norte-americano. Mostrando sem qualquer censura as conseqüências da inexistência de cuidados de saúde gratuitos nos E.U.A. o documentário é uma crítica afiada aos interesses corporativos e estatais camuflados sob este problema.

As Torres Gêmeas(World Trade Center): com Nicolas Cage, Michael Pena e Maggie Gyllenhaal. Dirigido por Oliver Stone.

Sinopse: “As Torres Gêmeas” é o novo filme do diretor Oliver Stone (“Alexandre e “Nascido em 4 de Julho”). Estava um dia extraordinariamente quente em Nova York em onze de setembro de 2001. Will Jimeno, policial do Departamento da Polícia Portuária (PAPD) pensou em tirar folga para praticar seu hobby, arco e flecha, mas decidiu ir trabalhar. O sargento John McLoughlin, veterano respeitado do PAPD, já estava acordado há muitas horas, exigência de sua ronda diária de uma hora e meia até a cidade. Eles e seus colegas seguiram para o centro de Manhattan — como faziam em qualquer outro dia. Só que esse não era um dia qualquer. Após os ataques ao World Trade Center, toda a equipe do PAPD foi convocada para comparecer ao local e a primeira equipe que saiu do centro para as Torres Gêmeas contava com cinco homens, entre eles McLoughlin e Jimeno. Os dois entraram no prédio não atingido e quando estavam se preparando para ajudar os feridos da primeira torre, foram surpreendidos pelo segundo ataque. Os dois policiais ficaram soterrados sob blocos de concreto e metais retorcidos, seis metros abaixo da área de destroços, mas, milagrosamente, sobreviveram. Apesar de não poderem ver um ao outro, puderam se ouvir e, durante 12 horas, McLoughlin e Jimeno conseguiram se manter vivos falando de suas famílias, de suas vidas no departamento, de suas expectativas e frustrações. O filme também acompanha suas mulheres, filhos e pais, que sofreram com a falta de informações sobre eles. E mostra a busca de um contador e ex-fuzileiro determinado de Connecticut, Dave Karnes, que achou os dois policiais naquela noite. Também é retratado o esforço de dezenas de bombeiros, policiais e paramédicos, que os resgataram após exaustivas 12 horas.

Voo United 93 (United 93): com Richard Bekins e Starla Benford. Dirigido por Paul Grenngrass.

Sinopse: “Vôo United 93” é um drama contagiante e provocante que conta a história dos passageiros, da tripulação e dos controladores de vôo que observaram, num terror crescente, o Vôo 93 da United Airlines se tornar o quarto avião seqüestrado no dia do pior ataque terrorista em solo norte-americano: 11 de setembro de 2001. Os eventos desse dia são explorados no episódio de um único vôo a partir de depoimentos de profissionais, executivos, esposas, avós, alunos e várias outras pessoas ligadas àqueles que estavam a bordo do Boeing 757.

– Reine Sobre Mim (Reign Over Me): com Adam Sandler, Michael Cheadle e Liv Tyler. Dirigido por Mike Binder.

Sinopse: o drama “Reine Sobre Mim” traz Adam Sandler como Charlie Fineman, homem que perdeu a família no atentado às Torres Gêmeas em 11 de Setembro de 2001 e busca, sem sucesso, se recuperar do baque. Ele encontra em Alan Johnson (Don Cheadle), ex-companheiro de quarto nos tempos de faculdade, uma válvula de escape para sua solidão.

Todos esses filmes devem ser assistidos e “reassistidos”. Eles são ótimos e emocionam de um jeito ou de outro. Em “Reine Sobre Mim” Adam Sandler mostra que é capaz de fazer muito mais além de comédinhas, ele está absolutamente incrível neste filme.

Sei que não é o bastante, mas dedico esse post aos heróis e as vítimas do atentado de 11 de Setembro de 2001. Que descansem em paz.

Especial: Comida

Ontem, 30 de agosto, começou o 7º Restaurant Week em São Paulo.

Inspirado nisso sugiro três filmes que fará você ter água na boca:

Julie & Julia: possui em seu elenco Meryl Streep e Amy Adams.

Sinopse: o filme trata sobre a vida de Julia Child, autora de livros de culinária e apresentadora de TV, e a tentativa de Julia Powell de cozinhar todas as 524 receitas publicadas por ela no livro Mastering The Art Of French Cooking.

Simplesmente Martha(Mostly Martha): consta com Martina Gedeck e Maxine Foerste  no elenco desse filme alemão.

Sinopse: Martha cria verdadeiras obras de arte cozinhando num pequeno restaurante em Hamburgo, mas possui uma vida monótona. Até o dia em que sua irmã morre ela começa a cuidar de sua sobrinha, Lina, de oito anos.

PS: Existe uma refilmagem americana do filme que se chama Sem Reservas (No Reservations).

Ratatouille:

Sinopse: o ratinho Rémy é um aspirante a chef, mas seu pai não permita que ele exercite esse seu lado alegando que cozinha é lugar apenas para humanos e que eles são perigosos. Porém, um dia ele se perde da sua família e acaba indo parar em um restaurante. Lá ele ajuda um assistente de restaurante a virar chef e mostra á todos seu potencial.